Educação para imortalidade

 

“O convite é repensar e processar o que lhes contaram e descobrir por conta própria qual a sua visão, qual o seu sentimento, qual a sua vivência sobre a morte e, por consequência, sobre a vida.

Esse é o motivo principal desta obra. Levar, você leitor, a repensar os conceitos herdados e a se questionar, se, como acredito, a vida real é a espiritual, e que a vida terrena é uma ilusão, feita de aparências. É a alma que a tudo sobrevive, o corpo é perecível.”

                                                                                                                                  Regina Valente

Onde comprar
Sobre a obra

Neste livro, a autora propõe aos seus leitores uma nova visão sobre a morte ao resgatar passagens de sua vida, desde a infância até a sua idade adulta, marcada pela despedida de pessoas queridas. Ao lado dessas experiências, adjacentes aos sentimentos que gera, estão o medo, a dor, e a curiosidade, que talvez a tenha motivado a buscar leituras para compor sua visão sobre o tema.

 

O presente livro é um efeito das reflexões realizadas ao longo dos seus 52 anos de vida, acerca da educação e visão equivocada que temos sobre a morte. De forma generosa, ela divide com seus leitores as cartas trocadas por seus pais durante sua infância, além de narrar outros momentos especiais de sua vida, que a marcaram de forma singular. Percebe que o amor esteve presente em todos esses momentos, e acredita que ele é um sentimento de fundamental importância para transmitir novos valores espirituais, e mudar o conceito que temos sobre a morte.

 

A autora se vale de bibliografia espírita, filmes e obras de autoajuda para compor a sua tese de que a morte nada mais é que uma passagem da vida terrena para outra realidade, a espiritual, nada distante da que vivemos hoje, em nosso mundo interior.

Sobre a autora

Regina Valente é carioca, formada em Pedagogia pela UNI-Rio. Concluiu sua pós-graduação em Psicodrama no Centro de Psicodrama do Rio de Janeiro e atuou como consultora comportamental e coaching, por mais de dez anos, em diversas empresas. Autodidata, trabalhou como administradora de empresas por 15 anos.

 

A autora percebe equivocada a opinião geral sobre o assunto morte. Para ela é tênue a linha que separa a vida carnal da vida espiritual, e dirige esse conteúdo sobretudo aos pais, que têm o papel de educar e transmitir novos valores aos seus filhos. Regina é também autora do livro Despertar espiritual, publicado em 2016 pela mesma editora, com abordagem similar à da obra agora apresentada.

 

Sumário

 

APRESENTAÇÃO

CONSIDERAÇÕES DA AUTORA

CAPÍTULO 1 - O TEMPO

CAPÍTULO 2 - O AMOR

CAPÍTULO 3 - MISSÃO ESPIRITUALISTA

CAPÍTULO 4 - A EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA

CAPÍTULO 5 - NOSSO OLHAR SOBRE A MORTE

CAPÍTULO 6 - ÚLTIMOS MOMENTOS (PELA ÓTICA ESPIRITUALISTA)

CAPÍTULO 7 - O SOFRIMENTO

CAPÍTULO 8 - A MORTE DE MEU PAI

CAPÍTULO 9 - DESAPEGO

CAPÍTULO 10 - EDUCAR É PRECISO

CAPÍTULO 11 - CONSIDERAÇÕES FINAIS

CAPÍTULO 12 - ESPIRITUALIDADE

CAPÍTULO 13 - CARTAS DE FAMÍLIA

BIBLIOGRAFIA

 

Apresentação

 

Nossa única certeza na vida é que um dia iremos morrer. Talvez por não saber quando e nem como, esse acontecimento se torna uma inquietação durante a nossa existência. E para onde nosso espírito vai se direcionar nesse momento pode nos revelar que nem sempre nossas verdades correspondem à lei do universo.

 

Uma vez participei de um exercício de vivência exotérica, em relação às duas passagens: o nascimento e a morte. Percebi que quando nascemos, viemos para um mundo em que os encarnados não nos conhecem, e que uma jornada se inicia para construir as relações. Ou seja, respiramos, num primeiro momento, no desconhecido e imprevisível lugar. Já na morte, a passagem me mostrou que retornamos para um ambiente familiar, onde muitos espíritos conhecidos nos aguardam, e conhecem o nosso íntimo e estão ali para nos receber com todo amor e segurança. Era mais uma jornada que terminara. Senti mais alegria na minha morte, do que no meu nascimento.

 

Sei que é uma experiência pessoal e que cada ser fará a sua expiação de acordo com o seu mérito, mas até hoje sinto outra sensação pela morte, que me liberta do medo.

 

A perda do meu pai abalou demais nossas estruturas emocionais, e a necessidade de continuarmos sem ele, nos fez aprender a buscar respostas para tanta dor.

 

Um dia, minha irmã Regina falou: “- Talvez o papai tenha ido mais cedo para aprender antes de nós, e para quando chegar a nossa hora poder nos ajudar”. Essa frase foi um bálsamo em meu coração e mostrava toda a certeza e confiança da proteção que nosso pai sempre nos passou. Ali estava a resposta. Hoje compreendo que existem planos de existências muito próximos da Terra e que meu pai não está tão distante assim e, que estamos aprendendo juntos. O amor continua o mesmo, e lá estará nosso pai no momento de nossa ascensão, para o reencontro.

 

Regina, minha irmã, sempre teve uma espiritualidade muito aflorada, transitando em planos diferentes da existência. Percebeu muito cedo que o que muitos acham que é o fim, é simplesmente um estágio na jornada do espírito. Nesta obra, ela abre o seu coração e relata momentos da nossa família. Momentos esses que mostram todo o sentimento e as considerações que envolvem a passagem, ou para quem preferir, morte, de um ente querido.

 

Espero que a leitura deste livro desperte em você, leitor, a reflexão e renovação sobre esta temática, vida e morte, e a certeza que Deus nos acompanha em todos os caminhos.

                                                             

                                                              Com muito carinho,

                                                   Ana Lúcia de Souza Valente

 

 

Autora: Regina Valente

Editora: Barra Livros

Tamanho: 15,5 x 23 cm - 116 páginas.

Edição: 1ª 2016

ISBN: 978-85-64530-45-4